5 erros mortais que empresas cometem ao vender pela internet

O comércio eletrônico brasileiro está em plena expansão e, pela primeira vez, seu faturamento ultrapassará a casa dos R$ 100 bilhões, segundo a Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm). A estimativa é que o setor movimente R$ 106 bilhões neste ano de 2020, 18% a mais que no ano anterior.

Os números animadores apontam que esta é uma excelente oportunidade para empresas que querem vender pela internet. Entretanto, para ter sucesso com sua loja virtual, é preciso, também, estar atento a diversos fatores essenciais.

Conheça alguns erros comuns que empresas cometem ao vender pela internet.

1.  Cadastro de produtos incompletos

Entre os erros mais frequentes, estão os cadastros de produtos de forma incompleta ou errada. Isso gera baixa taxa de conversão do item, além de ser passível de problemas judiciais. 

Quando um cliente acessa seu produto, ele deseja encontrar informações detalhadas da mercadoria, de características básicas à ficha técnica, afinal, ele não tem aquele item em mãos.

Por isso, capriche na descrição e coloque o máximo de informações relevantes sobre o produto.

Se possível, utilize fotos autorais, bem produzidas. Isso faz toda a diferença na apresentação do produto, além de ser ótimo para o posicionamento da loja virtual no Google.

Vídeos também ajudam na valorização da mercadoria. Segundo uma pesquisa da State of Video Marketing (2017), 81% das pessoas são convencidas a comprar um produto depois de assistirem a um vídeo.

Portanto, quanto melhor estiver a descrição do produto, melhor será a experiência do usuário e mais provável será a conversão dele.

 

2. Não pensar na experiência do usuário

 

Antes de qualquer coisa, uma loja virtual deve pensar na experiência do usuário. De nada adianta ter um e-commerce lindo, se não atende às premissas básicas de segurança e usabilidade.

Uma loja virtual deve ser responsiva, ou seja, se adaptar às telas de dispositivos móveis, oferecer segurança aos dados do cliente, disponibilizar produtos e informações de forma simples e intuitiva, facilitando a navegação e, consequentemente, a compra.

Outro fator essencial na experiência do usuário é a rapidez de carregamento da loja virtual. Segundo levantamento do Google, 53% dos usuários que visitam um site, utilizando celulares, deixam a página se ela não carrega em menos de 3 segundos.

Adicionar a opção de login social – aquele que você pode se cadastrar direto com seus dados do Facebook – e chat para atendimento online, são formas bem bacanas de facilitar a vida do usuário.

3. Não investir em divulgação

Outro erro muito comum por parte dos empresários é não investir na divulgação dos produtos e de sua loja virtual.

O e-commerce é um excelente canal de vendas online, mas se você não divulgá-lo, como seus clientes vão saber que ele existe?

Com o marketing digital, você tem inúmeras possibilidades!

Você pode promover seus produtos, por meio dos links patrocinados do Google Ads e das principais mídias sociais, atrair e guiar seus potenciais clientes até o momento de compra, por meio do Inbound Marketing, conectar-se com seu público nas redes sociais, entre diversas outras opções.

4. Reputação ruim na internet

A confiança é um fator determinante na hora da compra.

Se a empresa tem uma reputação ruim e comentários negativos em suas redes sociais, em canais como Google My Business ou Reclame Aqui, por exemplo, é muito provável que ela perca vendas.

Afinal, o cliente não vai querer arriscar passar por transtornos, e irá preferir comprar com uma empresa confiável.  

A má reputação também pode interferir negativamente no posicionamento da loja virtual nos mecanismos de busca, como o Google. Isso dará menos visibilidade à página, que também terá menos oportunidades de conversão.

Por isso, é essencial manter boa reputação online, sempre responder e solucionar as reclamações de seus clientes. Ter canais de atendimento efetivos e um relacionamento pós-venda, também são pontos positivos para a empresa.

5. Produtos caros

Um dos principais motivos dos consumidores comprarem online é o preço mais baixo, em relação à loja física. Além disso, facilidade no pagamento, valor do frete e tempo de entrega do produto também são fatores levados em conta pelo usuário.

Com a ampla concorrência e facilidade na comparação de preços, na internet você está à distância de alguns cliques do seu concorrente.  

Portanto, monitore sempre os preços praticados por seus concorrentes, pratique preços competitivos e ofereça condições atraentes aos seus clientes. Isso certamente resultará em muitas vendas!  

Gostou desse conteúdo e quer saber mais dicas sobre comércio eletrônico e assuntos relacionados?

Leia também: Comércio eletrônico ganha 4 milhões de novos clientes durante a pandemia: aprenda a usar isso a seu favor